Resenha|| Como Agarrar Uma Herdeira - Volume 1, Julia Quinn

Título Original:To Catch Heiress
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
ISBN-13: 978-8580417593
Ano: 2017
Saiba mais: Skoob
Comprar: Saraiva // Amazon



Inglaterra, 1814.

Caroline Trent é uma bela herdeira, seus pais morreram e desde muito jovem sua fortuna é administrada por vários tutores, que, aliás, foram todos ruins.

Porém, certamente, nenhum poderia ser comparado a  Prewitt. Um homem cheio de segredos e ganancioso que planejava casá-la com seu filho antes dos seus 21 anos, mesmo que para isso tivesse que obrigar o filho violá-la. O que Prewitt não contava era com a estupidez do seu primogênito e a esperteza de Caroline. Em uma noite por ironia do destino, no momento da fuga ela acaba sendo confundida por uma espiã, por ninguém menos que Blake Ravenscroft.

Seu mundo mais uma vez desaba, mas ela precisava correr contra o tempo, determinada a seguir em frente com a fuga, nossa mocinha não deixa abater-se pela situação comprometedora e novamente ela demonstrou toda a sua força e coragem.

Blake Ravenscroft é um agente da coroa, o melhor em tudo que se propunha a fazer, até que uma perda pessoal o deixar totalmente sem chão. Cansado de sua condição de espião, ele aceitou sua última missão que era espionar Prewitt e reunir provas de todos os seus crimes.

Caroline frustrava todas as tentativas de interrogatório de Blake, o que foi muito divertido. Pouco a pouco, ela também começa a se apaixonar por esse homem que nunca sorri.
Só que ela precisava se afastar de Hampshire e dos condados vizinhos. Não teria conseguido fugir de modo mais eficaz de seu tutor se Blake não pensasse que ela era outra pessoa, uma criminosa, mas assim que possível esclareceria tudo depois que ele a levasse para bem longe. Enquanto isso ficaria calada.
Claro, as complicações são óbvias e saem do controle quando ela é desmascarada. Apesar de Blake considerá-la um estorvo, ela também pode ser de grande ajuda para sua investigação.
Apesar das implicâncias entre eles pipocarem a cada encontro, Blake tenta controlar os pensamentos nada honroso que sente pela sua hóspede, também descobre uma personalidade forte e impulsiva que o leva a rever seus conceitos, deixando-o louco principalmente quando ela lhe faz uma proposta bastante atrevida.

E Caroline é o tipo de mocinha que não tem medo de lutar pelo que quer – e ela quer Blake. E deixa bem claro para ele que está atraída e quer muito mais dele. E isso é ótimo, pois Blake jamais teria coragem de se aproximar dela... Com certeza ganhou pontos porque não é uma mocinha sensível, cheia de "não me toques". Mas também reconhece que, às vezes, foi muito inconveniente, mas devo ser sincera, no seu lugar teria infernizado muito mais a vida do Blake, porque a minha vontade era dar com a cabeça dele na parede até o cabeçudo se ligar.

Gente, até o último momento ele se recusava a reconhecer seus sentimentos. Eu entendia todo o processo de luto pelo qual passamos e que nunca é fácil superar e seguir em frente, mas, não sei, senti que a dor dele era mais culpa do que qualquer outro sentimento que tenha sentido pela noiva morta.

Blake selou em seu coração a promessa solene de nunca amar, e, a partir desse momento, decide que não há lugar para outra mulher em sua vida, apenas seu trabalho para o governo. A partir daí, a história fica entre a luta de sentimentos dentro dele, pois não conseguia mais ignorar a presença dela e o modo como seu corpo reagia a isso. Mesmo sabendo que a aproximação dos dois é completamente errada, Caroline não consegue evitar, o que sente por ele e a vontade de estar sempre por perto são maiores que o medo do futuro e das suas consequências.

Blake me surpreendeu muito, pois ele é possessivo e extremamente controlador, mas, ao mesmo tempo, ele é superprotetor. Porém, ele, às vezes, conseguia ser dramático, criando situações desnecessariamente difíceis. Mas ele não faz nada atípico dos homens da época, então seu comportamento é compreensível e não me incomodou muito. Blake também sabe ser muito fofo e adorei conhecer seu lado inseguro, especialmente quando ela o faz perder a cabeça, dei algumas risadas.

O que não falta nesse livro são situações mirabolantes e muito engraçadas. Ah, os personagens secundários! Eu os amei, especialmente James, protagonista do próximo livro, o melhor amigo de Blake, e até mesmo os criados da casa!

A diagramação é bem simples e confortável para a leitura e não encontrei erros de revisão. Narrada em terceira pessoa concentrando-se nos dois protagonistas, com situações divertidas e diálogos irônicos a história do livro é boa.

Apesar de eu não ter concordado com algumas atitudes dos dois personagens, senti que um poderia ser capaz de ajudar o outro a superar os traumas do passado.

Julia Quinn consegue nos trazer um livro equilibrado com um humor leve e maravilhoso e um drama bem colocado e na dose certa para divertir e conquistar, mas, honestamente, não tem comparação com os livros atuais da autora. Pelo que soube, este foi um dos primeiros livros que ela escreveu, na verdade, foi lançado originalmente em 1998.

Então se você não tiver lido nada dela, mas quiser, não recomendo que comece por esse. Agora se você, assim como eu, é fã da diva não deixem de ler e se divertir muito com a história desse casal. Eu adorei!

Fico por aqui, abraço e até breve!

 Ah e não esquece de participar do top comentarista do mês e concorrer a um lindo livro...dá sua escolha.
Top Comentarista

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...