Lançamentos Editoriais

Lançamentos: Faro Editorial

1.2.18 Lu Zuanon Apaixonada por Romances 0 Comments



Olá leitores, como vocês estão? 

Firmamos mais uma parceira com uma grande editora para o ano de 2018
Eu estou imensamente feliz pela oportunidade de ser parceiro da Faro Editorial, uma editora que ganhou minha admiração pelo trabalho incrível e de muito capricho com suas obras, vamos conhecer os próximos lançamentos?

“Contra todas as possibilidades do amor” de RebekahCrane chega ao Brasil em janeiro

“Nós rezamos a Santo Antônio de Pádua para pedir três coisas. Que o que foi perdido seja encontrado. Que a alma seja livre. E que a vida seja duradoura”–Lema do Acampamento Pádua

Zander estava odiando a ideia de ir para esse acampamento do outro lado do país. Era a primeira vez que ela saía do Oregon, da sua casa, para ir justamente para esse lugar estranho, com pessoas esquisitas. Ela definitivamente não precisava estar ali, no Acampamento Pádua, o acampamento para jovens desajustados e problemáticos. Ela não era uma “deles”.

Garotos e garotas depressivos, com distúrbios alimentares, doenças degenerativas, depressão, compulsões e os que estão ne negação são o público alvo desse acampamento. Um lugar para valorizar a vida e ajudar jovens em situações emocionais complicadas. Ou seja, ninguém ali é muito “normal”, e Zander sabe que ela não pertence a esse lugar.

Ela foi mandada pelos pais para esse acampamento de verão, mas não faz ideia do motivo. Zander não se sente perdida, ela sabe muito bem onde está. E quando se depara com os demais jovens do retiro, ela tem ainda mais certeza disso. Zander não é como Cassie, que toma remédios para emagrecer e não come nada o dia todo. Ou como Hannah que se corta e por isso só usa blusas de mangas longas. Ou como Alex, que é um mentiroso compulsivo. Ou como Katie, que é bulimica. Ou ainda, como o chato do Groover... e, para relaxar nesse hospício, ela fica treinando conjugações de verbos em francês.

Mas Zander estava errada, e o que ela acabou encontrando ali foram grandes amigos e pessoas comuns, apesar de seus traumas e limitações. Adolescentes que queriam se divertir e fazer amizade como qualquer outro jovem. Que queriam burlar regras e testar limites, e que queriam ser aceitos como são. E ela iria descobrir que o amor pode ser encontrado onde menos se espera.
RebekahCrane consegue de uma forma leve e divertida abordar temas tão profundos e difíceis como bulimia, anorexia, esquizofrenia, compulsões, apatia, suicídio, violência doméstica, abandono, luto, e claro, o primeiro amor. Você pode pensar que se trata de uma história triste. E há partesduras sim, mas, Rebekah consegue mostrar como, na dificuldade, podemos encontrar uma saída. E isso é uma das coisas que faz este livro completamente encantador, divertido e doce, capaz de deixarem você um grande sorriso no rosto.

“Nós só conseguiremos nos encontrar quando admitirmos que estamos perdidos” – Acampamento Pádua

Sobre a autora:



REBEKAH CRANE é autora detrês romances. Ela descobriu suapaixão pela literatura enquantoestudava educação secundáriana Universidade de Ohio. Depoisde ter dois filhos e ensinar emseis cidades diferentes, elafinalmente se instalou no sopédas Montanhas Rochosas parase dedicar a escrever romancese roteiros.



Livro da ganhadora do New Writer of the Year no GalaxyNational Book Awards chega ao Brasil em janeiro

“E você, meu amigo galvanizado, quer um coração. Você não sabe o quão sortudo é por não ter um. Corações nunca serão práticos enquanto não forem feitos para não se partirem...” O Mágico de Oz

Uma amizade que nasceu na inocência de uma infância marcada pelo abandono, o silêncio, a mágoa. Um carinho que cresceu na cumplicidade, nas descobertas. Um amor que estava acima de qualquer classificação social necessária. Michael e Ellis eram mais do que isso um para o outro. E essa é quase uma história de amor, mas seria muito simples defini-la assim.

Michael e Ellis se conheceram aos 12 anos. Michael fora abandonado pela mãe e pelo pai e agora vive com sua avó. Ellis era um menino solitário, que sofria com um pai rude. Logo eles se tornaram o refúgio um do outro. Durante muitos anos foram apenas dois, descobrindo o mundo, se descobrindo. E mais do que amigos, o sentimento que existia entre eles nunca precisou de outro nome.
Até que tudo muda quando Ellis conhece Annie. E aquela dupla passa a ser um trio. E aquela proximidade passa a ser uma grande distância. E aquela distância se torna uma ausência. Ellis sente falta de Michael. Michael sente falta de Ellis, mas as vezes, isso não é suficiente.

“O homem de lata” é mais do que apenas um romance sobre três jovens vivendo algo muito diferente em suas épocas. Este é um livro sobre amizade, ternura, sofrimento, perda, aceitação, medo. Uma obra sobre as consequências de uma vida que não foi vivida como deveria ter sido. E o poderia ter sido é a parte mais tocante de tudo...

“Uma história sobre um tipo de ternura tão rara que chega a doer.” - Rachel Roice — BBC
“O Homem de Lata é uma história sobre vidas alternativas que poderiam ter sido vividas se as circunstâncias fossem diferentes. Um delicado conto de amor extremamente bem elaborado.” - THE GUARDIAN

Sobre a autora:


SARAH WINMAN nasceu em 1964 na Inglaterra e é uma atriz e escritora. Em 2011, seu romance de estreia tornou-se um bestseller internacional e ganhou vários prêmios, incluindo New Writer of the Year no GalaxyNational Book Awards. O Homem de Lata também está concorrendo a diversos prêmios, e segue como finalista do Costa Novel of the Year do ano de 2017.





Júlio tem um dom. Ele consegue exprimir sobre sentimentos commuita beleza e, ao compartilhar em escritos, permite que nós tambémpossamos nomear o que muitas vezes sentimos e ficamos dealgum modo aflitos, por nãocompreender. É o momento em queo nosso coração encontra a paz. Ele transforma o grito preso nasgargantas em literatura. São linhas que costuram o aprendizadosobre amor com o olhar de uma geração.

“Amar é afogar-se com os próprios sentimentos e continuar respirando”

“São cartas que escrevi enquanto ainda sentia a ferida arder. Osmomentos felizes e os dias em que pensei que não iria aguentar”, revela Julio.

Primeiros amores, rompimentos, alegrias, rejeição, paixão, saudades, são apenas alguns dos sentimentos que Julio rasga nas páginas do seu livro. De coração aberto ele coloca em voz alta o medo que temos de amar e aceitar o amor.

“Júlio consegue trazer uma visão quase inocente sobre o amor e as nossas fragilidades-que-não-são-facilmente-expostas. É um mergulho no mundo submerso dos sentimentos ora com leveza, ora com intensidade. Você encontra aqui o que sempre quis dizer a alguém — ou a si mesmo —, mas que nunca teve coragem de tirar de dentro de si. E descobre que ler sobre tudo o que você guarda aí dentro pode ser bonito e reconfortante também.” - DANIEL BOVOLENTO Autor de Por onde andam as pessoas interessantes e Depois do Fim


Sobre o autor:
JÚLIO HERMANN nasceu em Gramado, no Rio Grande do Sul, e quase se tornou cronista esportivo, mas a desilusão com uma derrota na Libertadores mostrou que ele não teria estômago para enfrentar muitas outras. Em 2015, começou a publicar crônicas na internet e esperava ser lido pelos amigos e algumas dezenas de pessoas, que logo se tornaram centenas, milhares e centenas de milhares depois de um tempo. Seus temas sempre são os seus amores e relacionamentos, e o que aprende com cada um deles. Mesmo com suas dúvidas, ele acredita que isto tudo é apenas o começo, e cada aprendizado nos leva a melhores possibilidades.


Ele escreve nos sites: www.juliohermann.come www.entretodasascoisas.com.br



Ali haverá grande lamento e ranger de dentes...
Lucas 13:28

E OS HUMANOS DESCOBREM QUE APIOR DESGRAÇA NÃO SÃO OS ZUMBIS...

Décadas se passaram desde que toda a esperança de reconstruir o mundo a partir de uma base em Ilhabela foi devastada. O grande inimigo que antes vagava atrás de carne humana e sedento por sangue virou coadjuvante numa guerra ainda pior: a disputa entre os seres humanos. O perigo que agora assombra a Terra não são os mortos-vivos, mas sim os sobreviventes. E nada é mais contagioso do que a sede de poder do homem, nem mesmo uma mordida de zumbi.

A comunidade de sobreviventes de Ilhabela não resistiu. Depois da morte de seus fundadores, o vingativo Uriel assumiu o poder tornando-se o pior ditador que o “novo” mundo conheceu. As feras demoníacas não eram mais a única ameaça aos poucos sobreviventes. Agora a verdadeira doença que assola a humanidade estava se alastrando novamente: os homens.

Os poucos dissidentes que sobreviveram e fugiram de Ilhabela agora vivem em condições precárias e se escondem das forças de Uriel, e não imaginam que a crueldade dessa família poderia aumentar ainda mais. Pior do que aterrorizar as comunidades, o que o poder de Ilhabela fará pode decretar o fim de toda a raça humana.

Uma série de pesquisas e testes em zumbis, podem transformar os zumbis na arma mais mortal de todos os tempos. E será o início de uma era de terror nunca antes imaginado, será o início da era dos mortos.
Sobre o Autor:

RODRIGO DE OLIVEIRA é Gestor de TI e fã de ficção científica e dos clássicos de terror, em especial da obra de George Romero. A ideia para esta série surgiu após um longo pesadelo tão real que, ao acordar, começou a escrever freneticamente, até concluir seu primeiro livro. Casado, com dois filhos, nasceu em São Paulo, e vive entre a capital e o Vale do Paraíba. Conheça também os demais livros da série As crônicas dos mortos: O vale dos mortos, A batalha dos mortos, A senhora dos mortos, A ilha dos mortos e Elevador 16, que será adaptado para os cinemas.





E aí, o que acharam desses lançamentos?
Adoraria saber sua opinião!

0 comentários: